Happy Hour

Empresas se inspiram em pijamas para fazer roupas de escritório
Comentários Comente

Happy Hour

Há vezes que acordar cedo e entrar na roupa social é uma dificuldade para você? E, quando chega em casa, a primeira coisa que faz é vestir uma calça de moleton? Algumas marcas têm investido na ideia de aproximar o traje do dia a dia dos pijamas.

Pode parecer estranho, mas a ideia é lançar peças com tecidos e cortes que sejam mais confortáveis, inspiradas nas roupas de dormir ou relaxar em casa.

Veja essa lista, elaborada pelo site Inc.com (http://zip.net/bmsZT9, endereço encurtado e seguro).

Bammies

bammies

O nome da marca é uma junção de duas palavras em inglês: business (negócios) e jammies (gíria para pijamas). Em seu site (http://zip.net/bts0yK), a empresa afirma que as roupas são confortáveis, mas chiques, e servem para os diversos compromissos do dia, do café da manhã de negócios ao coquetel para fazer networking. Elas variam de US$ 80 (cerca de R$ 303) a US$ 170 (cerca de R$645).

OnePiece

Essa é para quem trabalha em um ambiente menos formal. A OnePiece foi criada em 2007 por três noruegueses apoiada na ''arte da preguiça'', como diz no site da empresa (http://zip.net/bxs0Rs). A marca faz ''onesies'', espécie de macacão, uma peça única dos pés à cabeça. O visual pode parecer estranho, mas já foi adotado por celebridades, como Beyoncé, Justin Bieber, Paris Hilton, e até o presidente da companhia aérea Virgin, Richard Branson (foto). São vários modelos, mas o padrão custa US$ 119 (cerca de R$ 451).

Suitsy

suitsy

Seguindo a linha da peça única, o corretor de imóveis Jesse Herzog criou o Suitsy. Pode não parecer na foto, mas o terno, a calça e a camisa são uma coisa só. Para colocar e tirar a roupa, um zíper (escondido) desce do pescoço à virilha. Uma das vantagens apontadas por Herzog é que a camisa nunca fica para fora da calça. A roupa é vendida na plataforma online de financiamento coletivo Betabrand (http://zip.net/bssZ7J), e custa US$ 378 (cerca de R$ 1.433).

Dress Pant Yoga Pants

yoga

Também vendida na plataforma Betabrand (http://zip.net/bwsZsR), a Dress Pant Yoga Pants é uma calça legging para o escritório. Ela é descrita como elástica e confortável, apropriada para praticar ioga, mas com um visual profissional. A calça custa US$ 78 (cerca de R$ 296) e, segundo o Betabrand, é de longe o produto mais popular da plataforma.

Suitjamas

suitjamas

O contrário, um pijama inspirado nas roupas de escritório, também existe. Uma empresa australiana criou um pijama de seda no formato de um traje social completo, com paletó, calça, camisa e até gravata. OK, na realidade esse tem mais cara de piada, seguindo um episódio do seriado americano ''How I Met Your Mother'', em que um dos personagens, Barney Stinson, idealiza a peça. Mas ela realmente está à venda no site (http://zip.net/bmsZT8) e custa US$ 89 (cerca de R$ 338).


Empresa britânica quer dar folga para funcionárias que estão menstruadas
Comentários 2

Happy Hour

o-fato-de-ter-a-primeira-menstruacao-muito-cedo-ou-muito-tarde-nao-afeta-a-fertilidade-1436222930715_615x300

Uma empresa britânica pretende dar dias de folga para suas funcionárias, quando elas estiverem menstruadas.

A ideia é da Coexist, uma empresa social que administra um espaço cultural na cidade de Bristol. Dos 31 funcionários, 24 são mulheres.

Em entrevista ao jornal ''The Guardian'', a diretora Bex Baxter afirmou que a intenção é sincronizar o trabalho com os ciclos naturais do corpo.

''Vi mulheres no trabalho se curvando de dor por causa da menstruação. Mesmo assim, elas sentiam que não podiam ir para casa”, disse Baxter. ''Algumas mulheres da minha equipe dizem que têm vergonha de admitir que estão sentindo dor.''

A diretora diz que os funcionários já têm liberdade para tirar folgas quando não estão bem, mas ainda não há uma regra a respeito disso. ''Queremos uma política que reconheça e permita às mulheres darem um tempo aos ciclos naturais do corpo [como a menstruação], sem rotular isso como uma doença.''

A diretora afirma que ela e sua equipe ainda vão formular a nova política e apresentá-la em um seminário no dia 15 de março.

Licença existe na China

Desde o início deste mês, as mulheres da província chinesa de Anhui podem tirar até dois dias de folga por mês caso sofram com cólicas menstruais, segundo o site da rede de TV americana CNN.

Para ter direito à licença, as mulheres devem apresentar um atestado médico. De acordo com a CNN, a folga por causa da menstruação já existe em outras províncias chinesas, como Shanxi e Hubei.

Outros países asiáticos, como Japão, Coreia do Sul e Indonésia, têm leis que permitem dias de folga durante a menstruação.

Invasão de privacidade

O site China.org afirma que uma pesquisa sobre o assunto foi feita no ano passado na província de Guangdong, onde o governo local também estava considerando criar a licença.

A pesquisa indicou que mais de 20% das mulheres não estavam dispostas a tirar a licença por diversas razões, como a exposição da intimidade e o atraso em tarefas do trabalho.

Médico defendeu medida

Em entrevista ao site do jornal britânico ''Daily Mail'', em 2014, o médico especialista em obstetrícia e ginecologia Gedis Grudzinskas afirmou que a licença menstrual aumentaria a produtividade e motivação das mulheres.

Para ele, muitas se sentem mal durante o período da menstruação, e ir ao trabalho é uma dificuldade. ''Quando você se sente assim, é mais difícil ter orgulho do próprio trabalho ou ter o mesmo desempenho''.

O médico defendeu que o período deveria ser de um a três dias por mês, independentemente da licença médica, porque ''não é uma doença, afinal de contas''.


Cone do silêncio, como o do Agente 86, ajuda a se concentrar no escritório
Comentários 1

Happy Hour

vivero_acoustic_tomoko_4_wasabi_salonen_abe

Os fãs das séries de TV americanas devem se lembrar de Maxwell Smart, personagem principal de ''Agente 86''. Espécie de James Bond atrapalhado, o agente secreto também tinha seus artefatos tecnológicos para combater o crime. Um dos mais lembrados é o cone do silêncio, usado em conversas sigilosas com seu chefe.

Um estúdio de design da Finlândia criou uma peça que lembra bastante o tal cone. É uma espécie de capacete de feltro, projetado para dar mais privacidade em escritórios abertos, onde não há paredes ou divisões entre os funcionários.

A peça foi exibida na feira de móveis de Estocolmo, na Suécia, que terminou no dia 13 de fevereiro.

Ela pode ser usada de duas maneiras: com uma base, para segurá-la em cima da cabeça (como o cone do silêncio), ou apoiada em uma mesa, ao redor da tela do computador.

vivero_acoustic_tomoko_6_wasabi_salonen_abeA peça ''ajuda a criar imediatamente um território seu, eliminando elementos que interfiram na sua concentração, como barulhos ou distrações visuais'', diz o site onde é vendida. ''Ao mesmo tempo, ela sinaliza aos outros que você não deve ser perturbado.''

Como é de se imaginar, os criadores dizem que o objeto não elimina o barulho, mas o diminui consideravelmente e que, quando se fala ao telefone embaixo dele, as outras pessoas não conseguem ouvir a conversa tão bem.

A peça é assinada pelo estúdio MottoWasabi e vendida pela marca Vivero, que não divulgou o preço no site (http://zip.net/bgsVYv, link encurtado e seguro).

A série “Agente 86” foi produzida de 1965 a 1970 e teve uma nova versão em 1995. Em 2008, ela foi para os cinemas, com um filme estrelado por Steve Carell e Anne Hathaway.

Agente 86 e o cone do silêncio



Teste de emprego avalia como você reage a um pedido trocado no restaurante
Comentários 40

Happy Hour

entrevista-de-emprego-1385667637932_615x300

Chefes e recrutadores usam diferentes técnicas para selecionar candidatos a um emprego. Enquanto muitos não arriscam, optando por entrevistas tradicionais, testes e dinâmicas de grupo, outros preferem uma abordagem mais inusitada.

Esse é o caso de Walt Bettinger, presidente da Charles Schwab, multinacional de serviços financeiros. Ele prefere criar uma armadilha ao candidato e contou sua estratégia ao Vault, site americano sobre empregos e carreiras.

Bettinger diz que às vezes marca a entrevista em um restaurante, durante o café da manhã, mas chega antes do horário combinado. Então diz ao gerente do lugar: ''Quero que você erre o pedido da pessoa que vai tomar café comigo. Está tudo certo, vou dar uma boa gorjeta. Mas erre o pedido''.

Bettinger diz que faz isso para saber como o candidato se comporta quando recebe um prato diferente do que pediu. ''Vai me ajudar a entender como eles reagem às adversidades. Ficam chateados, frustrados ou compreendem?'', conta. ''É só mais uma maneira de olhar em seus corações, em vez de suas cabeças.''

Sucesso e fracasso

A entrevista, claro, não para por aí. Ele também pode perguntar sobre o maior sucesso e o maior fracasso do candidato. O objetivo é saber se sua visão de mundo gira ao redor de si mesmo ou dos outros. A resposta não deve ser narcisista. O melhor é falar sobre um fracasso ou sucesso da equipe em que trabalha.

A pergunta final

Ao final da refeição, ele faz uma última pergunta, mas muito importante, que deve ser respondida corretamente ou colocará em risco o sucesso na entrevista: qual o nome do garçom que os atendeu?

Bettinger diz que, durante a faculdade, manteve uma média perfeita de notas. Para garantir isso ao final do curso, precisava ter sucesso em uma última prova. Por isso passou horas estudando e decorando fórmulas.

Na hora do teste, o professor entregou apenas uma folha de papel em branco.

Ele então disse: ''Ensinei a vocês tudo o que podia sobre negócios nas últimas 10 semanas, mas a mensagem mais importante, a pergunta mais importante, é essa: qual é o nome da moça que limpa este prédio?''

''Isso teve um impacto poderoso. Foi o único teste em que fui reprovado na vida. E foi merecido'', diz Bettinger. ''Seu nome era Dottie, e eu não a conhecia. Eu já tinha visto ela, mas nunca perguntei seu nome. Eu tentei conhecer todas as 'Dotties' com quem já trabalhei desde então.''


Bilionário do petróleo paga até R$ 389 mil de bônus a cada funcionário
Comentários 1

Happy Hour

Acha que o seu 13º salário está curto neste ano? Então, respire fundo para não ficar desanimado com esta notícia.

Um bilionário americano do petróleo pagou um bônus de até US$ 100 mil (cerca de R$ 389,1 mil) para todos os seus funcionários, segundo a imprensa norte-americana.

Jeffery Hildebrand, 56, dono da texana Hilcorp Energy, deu o “incentivo” aos cerca de 1.400 trabalhadores, totalizando mais de US$ 100 milhões (R$ 389,1 milhões), informa a revista “Forbes”. O valor que cada um recebe varia de acordo com o tempo que está na empresa nos últimos cinco anos.

Parece bastante dinheiro, mas não deve fazer muita falta a Hildebrand, que tem uma fortuna estimada em US$ 5,9 bilhões (cerca de R$ 23 bilhões), segundo a própria ''Forbes''.

Não é a primeira vez que o magnata concede prêmios generosos aos empregados.

Há cinco anos, quando a Hilcorp atingiu sua meta de dobrar a produção de gás e petróleo, cada funcionário pôde escolher entre US$ 35 mil em dinheiro ou US$ 50 mil na compra de um carro zero.


Facebook terá 4 meses de licença para pais no mundo todo
Comentários Comente

Happy Hour

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (26) que expandiu sua política de quatro meses de licença para todos os funcionários que tiverem filhos no mundo. Agora, novos pais e mães, sejam de recém-nascidos ou em adoções, podem ficar afastados do trabalho. Isso inclui casais do mesmo sexo.

Até agora, esse benefício era restrito aos funcionários da empresa nos EUA. De acordo com o site ''Business Insider'', o Facebook possui mais de 11 mil empregados no planeta.

A medida foi anunciada em post na própria rede social por Lori Goler, chefe de RH e recrutamento, e começa a valer a partir de janeiro de 2016.

I am proud to announce today that we are extending our parental leave policy for full time employees to cover four…

Posted by Lori Matloff Goler on Quarta, 25 de novembro de 2015

Segundo Goler, o novo tempo de licença vai afetar principalmente homens e casais homossexuais, já que não muda a licença-maternidade já existente para as mães.

Há menos de uma semana, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que está planejando tirar dois meses de licença do trabalho após o nascimento de sua primeira filha.


Estúdio grego cria mesa de escritório que vira cama
Comentários Comente

Happy Hour

Alguma vez você já teve vontade de tirar um cochilo durante o trabalho? Segundo estudos, isso pode ser bom para a produtividade.

O problema é que nem todos podem dar um tempo nas atividades diárias para recarregar as energias. Além disso, a maioria dos escritórios não tem espaços apropriados para a soneca.

Pelo menos esse segundo problema a Studio NL, empresa grega de design, promete resolver. Ela criou uma mesa de escritório que se transforma em cama.

O projeto, porém, é apenas um protótipo, não é comercializado. Em entrevista ao site ''HuffPost'', Athanasia Leivaditou, a designer do projeto, disse que a ideia foi comentar a rotina rigorosa de trabalho e mostrar quanto de nossas vidas passamos no escritório.

Leivaditou disse que o conceito surgiu ao trabalhar longas horas durante a universidade.

Confira no álbum as etapas da transformação da mesa em cama.


Netflix cria “atestado” para justificar atraso depois de maratona de séries
Comentários Comente

Happy Hour

Você já passou madrugadas em claro assistindo a uma maratona de filmes ou séries de TV? Quem já viveu a experiência sabe o quanto o cansaço pode apertar no dia seguinte -ou até mesmo levar a atrasos no trabalho.

Para ajudar o fã a justificar os possíveis minutos de ausência, o Netflix, canal de filmes e séries por streaming, divulgou em sua página no Facebook um atestado de mentirinha.

Resta saber se algum chefe vai aceitar a desculpa.11999704_1001477613242365_5268424902172222346_o

Dicas de filmes e eventos esportivos para ver no Netflix

Veja Álbum de fotos


Candidato a emprego nos EUA manda selfie pelado para gerente de RH
Comentários 26

Happy Hour

Uconsumidora-nervosa-direitos-em-telefonia-celular-telefonia-celular-1397074923482_500x300m jovem de 23 anos, de Chicago (EUA), mandou duas fotos sem roupa -conhecidas como nudes- por celular para a gerente de RH de uma empresa onde tinha sido chamado para trabalhar, segundo o jornal ''Chicago Tribune''.

A gerente comunicou o caso à polícia em 14 de agosto. O rapaz admitiu ter enviado as fotos, mas disse que foi por engano e que elas seriam endereçadas a outra pessoa.

A gerente decidiu não prestar queixa e a empresa não comentou o caso, segundo o jornal. ''Até onde sei, eles retiraram a oferta de emprego'', disse o chefe de polícia Michael Ruth.


Casa Branca contrata primeira funcionária transexual assumida
Comentários Comente

Happy Hour

Arquivo pessoal/Facebook

A Casa Branca contratou sua primeira funcionária abertamente transgênero. Raffi Freedman-Gurspan será agora diretora de recrutamento.

A nova funcionária ''demonstra o tipo de liderança que esse governo defende'', disse a consultora sênior do presidente Barrack Obama, Valerie Jarrett, em nota ao jornal ''Washington Post''. “O comprometimento dela em melhorar a vida de americanos transgêneros -principalmente os transgêneros negros e os que estão na pobreza- reflete os valores desse governo.”

Freedman-Gurspan já trabalhou como assessora política no National Center for Transgender Equality (centro nacional para igualdade de transgêneros).

Recentemente, ela declarou que as autoridades deveriam fazer mais para prevenir homicídios de pessoas transexuais e que o governo deveria soltar imigrantes ilegais transgêneros que estão presos e não podem ser protegidos adequadamente da violência sexual na prisão, segundo o jornal.

Conheça Renata Montezine, a primeira modelo transexual a desfilar no FWPS

Veja Álbum de fotos